Centro de Filosofia e Ciências Humanas
  • Publicado em 31/03/2022 às 17h34

        


  • Convite de Abertura da Exposição

    Publicado em 19/07/2022 às 14h49


  • Nota de Pesar: Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro

    Publicado em 14/07/2022 às 15h52

    A ciência, a universidade, a geografia e a climatologia brasileira perderam hoje um de seus nomes mais importantes intelectuais, Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro, carinhosamente chamado de Cacá.

    De Teresina, sua terra natal, Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro conheceu o Brasil e o mundo, e em Florianópolis iniciou sua carreira como docente e ajudou a fundar o Curso de Geografia, o Departamento de Geociências e o Programa de Pós-Graduação da Geografia da UFSC. Além disso, recebeu os títulos de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal de Santa Catarina e de Cidadão Honorário do Município de Florianópolis.

    Em sua trajetória, Carlos Augusto de Figueiredo Monteiro é facilmente reconhecido com um gênio! Caminhava tranquilamente pela pesquisa científica teórica e aplicada, pelo ensino de geografia, pela literatura, arte e bons relacionamentos humanos. Sem perder de vista as grandes questões da sociedade, marcava sempre uma forma de agir simples, criativa e bem-humorada.

    É reconhecido como o Pai da Climatologia Geográfica, já que ajudou a construir um conjunto próprio e autêntico de paradigmas, conceitos, teorias e propostas metodológicas adequadas ao estudo do clima como fenômeno geográfico. E também era humilde, em reconhecer reiteradamente que os avanços e os progressos científicos na contemporaneidade, já estavam além de sua contribuição.

    Por tudo isso, o Cacá era um intelectual de fato, ser humano incrível, elegante, generoso, dono do seu próprio destino. Brigou, se divertiu, viajou, amou, bebeu, viveu e odiou a velhice. Nossa melhor homenagem é sem dúvida, lembrar de sua humanidade, e dar continuidade ao legado, já que seus ensinamentos marcaram nossa época e influenciaram a nossa geração.

    Cacá nos deixa! Mas a ciência, a universidade, a geografia e a climatologia brasileira seguem! Mais fortes e mais fundamentadas em seu trabalho e memória.

    Ao nosso mestre. Nosso pesar. Nosso reconhecimento. Saudades.

    Informação sobre o sepultamento:

    Dia 14/07/2022 às 13:00 horas no Cemitério Parque Flamboyant, localizado na região do bairro Gramado, em Campinas -SP.

    Dados para acesso ao Velório Virtual:

    www.veloriocomunidadecrsrc.com.br

    Usuario: 

    Senha: FL228572


  • Nota de pesar: Profa. Carmen Silvia de Arruda Andaló

    Publicado em 07/07/2022 às 13h30

    É com muito pesar que o Centro de Filosofia e Ciências Humanas comunica o falecimento da profa. Carmen Silvia de Arruda Andaló. Psicóloga, Psicodramatista, foi uma das professoras fundadoras do Departamento de Psicologia da UFSC, tendo tido um papel fundamental na construção e qualificação do Curso de Psicologia. Teve uma importante contribuição na área de Psicologia Escolar e Educacional, sendo pioneira no trabalho em prol de uma psicologia que atuasse contra as práticas de violência e medicalização da vida nas escolas e contra a produção do fracasso escolar. Além disso, foi protagonista no trabalho com grupos de estudantes, professores e pais nas escolas, desenvolvendo temas ainda pouco explorados na época, tal como a criação de uma linha de pesquisa que se propunha a abordar questões de sexualidade e gênero nas escolas e entre adolescentes. Coordenou o Laboratório de Educação e Saúde Popular, um dos laboratórios pioneiros do Departamento de Psicologia nos anos 90, e que ajudou a formar muitos dos professores que a sucederam no Departamento. A profa. Carmen Andaló deixa dois filhos, Carolina e Fábio.  Seu legado permanecerá entre nós. Sentiremos saudades. Obrigada por tudo Carmen!


  • UFSC não terá expediente nos dias 16 e 17 de junho

    Publicado em 15/06/2022 às 14h34

    Para mais informações, acesse Notícias da UFSC.


  • Ciclo de Debates Universidade e Urgência Democrática

    Publicado em 14/06/2022 às 16h26

    UFSC terá palestra sobre universidade pública e democracia com filósofo e ex-reitor da UFBA